Reinventando o café da manhã

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

cafedamanha

Há alguns anos, trabalhei para uma empresa israelense e tive o enorme prazer de visitar Israel algumas vezes durante aquele período. Lembro que na primeira que cheguei lá, estava exausta e morrendo de fome depois um vôo extremamente longo que pousou em Tel Aviv bem cedinho. Quando cheguei no hotel, fui direto procurar o café da manhã. Para minha surpresa, me deparei com uma mesa linda e toda colorida cheia de saladas, legumes assados, verduras frescas, e muitas frutas. Tinha também pães e frios, além de algumas opções como salsicha e ovos para agradar aos americanos, mas mais da metade da mesa do café era coberta de legumes e verduras!

Minha primeira reação foi: “Ai, não consigo comer salada no café da manhã!”. Meu bloqueio era tão forte que só fui provar uma saladinha de manhã na minha terceira viagem a Israel! Naquele dia, notei que tive menos fome durante o dia e menos vontade de comer doces. Apesar da experiência positiva, passaram-se muitos anos até que eu finalmente tomei coragem para reinventar meu café da manhã.

É fasciante como o café da manhã é influenciado pela cultura em que crescemos e vivemos. A variedade de costumes pelo mundo é imensa, como se pode ver nesse ensaio fotográfico que mostra o que crianças em diferentes países comem pela manhã. Ao mesmo tempo, quebrar o nosso próprio padrão cultural em relação à primeira refeição do dia é extremamente difícil. Aposto que ao olhar essas fotos, você pensou: “Ai, não conseguiria comer sopa, arroz ou peixe no café da manhã!”.

Desde que comecei a comer comida de verdade, o café da manhã foi a refeição que mais mudou para mim. Como brasileira, meu costume era comer pão com frios, geléia, fruta e café com leite. Mas a verdade é que quando comecei a ouvir meu corpo logo percebi que esse café da manhã só me sustentava por cerca de duas horas, ou seja, no meio da manhã eu já estava com fome novamente.

A primeira mudança que fiz foi adicionar mais gordura ao meu café da manhã. Comecei a fazer mingau de aveia e acrescentava um pouco de manteiga ao mingau! Você já experimentou? É uma delícia! A manteiga ajudou, mas não resolveu o problema.

Com o tempo, fui quebrando cada vez mais o modelo tradicional de café da manhã que eu tinha na minha cabeça. Depois de muitas e muitas experimentações, aprendi que o que me sustenta mesmo de manhã é proteína, gordura, e verduras! Aprendi também que, diferente dos israelenses, não sou fã de legumes e verduras crus de manhã, prefiro assados, cozidos ou refogados. Algumas das comidas que eu amo comer de manhã são:

  • Ovos com bacon
  • Omelete de legumes com queijo
  • Peixe com batata
  • Sopa de legumes e verduras feita com caldo de galinha caseiro
  • Abacate com batata doce
  • Atum com acelga e banana-da-terra, cozidos numa frigideira com gordura animal
  • Chucrute
  • Espinafre ou couve refogados no alho e azeite
  • Shake verde com frutas, folhas verdes e óleo de côco
  • Iogurte integral com morangos frescos
  • Banana com pasta de amêndoas ou castanha
  • Uma caneca de caldo de galinha caseiro puro!

Para cada pessoa, o café da manhã pode ser completamente diferente! E não é só isso, o seu próprio café da manhã pode variar dependendo do dia, da época do ano, ou da fase da sua vida. O segredo é ter a mente aberta para experimentar e sempre ouvir os sinais do seu corpo. Para isso, é preciso quebrar as regras que temos sobre o que é ou não é comida de café da manhã e abrir as portas para uma variedade bem maior de opções!

E você, o que come no café da manhã? Já experimentou outras alternativas? Compartilhe nos comentários abaixo!

Comentários

  1. Maria Laura Sampaio diz

    Achei ótimo! Com um texto simpático você nos convida a sermos mais criativos e honestos com nossos gostos. Principalmente no café da manhã. E na minha opinião, também, mais atentos as necessidades do nosso corpo.
    Obrigada por chamar a nossa atenção sobre a diversidade de opções que obtemos ao conhecer outras culturas.

    Abraços,

    Laura

  2. Heloisa Padilha diz

    Adoro batata doce e aipim quentinhos, cozidos em água e sal, lambuzados de manteiga e temperados com um pouquinho de pimenta moída na hora!

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *