O lanche da tarde: como eu aprendi a decidir quando e o que comer

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

lanche

Em algum momento, comecei a acreditar que ficar muitas horas sem comer não é bom. Ao mesmo tempo, começaram a aparecer várias opções de lanches rápidos e fáceis no mercado, como barrinhas de cereais. E mais, elas eram ditas saudáveis! Então, eu automaticamente saia de casa com uma barrinha na bolsa para comer no meio da tarde.

Para alguns, comer algo à tarde é necessário, e para outros, não. O segredo é sempre o mesmo: ouvir o seu corpo. No meu caso, tem épocas que eu tomo lanche todos os dias, e depois passo semanas sem tomar. Às vezes, varia a cada dia! Mas para chegar a esse ponto, eu comecei com uma pergunta:

Por que eu preciso de um lanche à tarde?

Antes de decidir o que comer  primeira pergunta que eu comecei a me fazer foi: por que eu preciso tomar um lanche no meio da tarde? O intuito dessa pergunta não é chegar a conclusão de que eu não deveria comer entre as refeições, e sim parar e refletir se o lanche é algo que meu corpo realmente precisa ou se é um hábito automático ou o resultado de uma regra externa.

Existem duas razões bastante comuns para acreditarmos que o lanche da tarde é necessário independente da nossa fome. A primeira é a regra comumente repetida de que devemos comer de 3 em 3 horas. Pois eu digo e repito: quem sabe quando e com que frequência você deve comer é o seu corpo! Portanto, qualquer regra geral pode ser usada como uma ideia a ser experimentada, mas não como verdade incondicional que funciona para todas as pessoas, de todas as idades, tamanhos, e hábitos alimentares.

A segunda razão, que foi o meu caso durante muitos e muitos anos, é que muitas vezes não comemos o suficiente no café da manhã e no almoço. Aí, quando chega o meio da tarde, estamos com tanta fome que não temos energia para esperar o jantar. Reconhecer essa fome à tarde e não tentar ignorá-la é fantástico! O problema é quando o lanche vira uma solução  temporária para o fato de que estamos comendo de menos. A paranóia contemporânea de não comer muito e de evitar gorduras e carboidratos nos leva a uma café da manhã pobre (ou inexistente) e um almoço ridículo de salada com peito de frango grelhado. Cadê a gordura? E o carboidrato, que nos dá energia?

Fora a baixa qualidade das duas primeiras refeições do dia, muitas vezes tentamos também controlar a quantidade e comer menos do que nossa fome está nos dizendo! Eu vivi assim durante anos. O resultado é que eu não aguentava de fome a tarde e depois comia demais no jantar. Um maluquice!

Respeite sua fome e ouça suas vontades durante as refeições

O primeiro passo para mim foi, portanto, aprender a ouvir os sinais do meu corpo no café da manhã e no almoço. Reinventei meu café da manhã e hoje não tenho mais fome no meio da manhã. Além disso, como quantidades boas de gordura e carboidratos no almoço também. Continuo comendo salada no almoço com frequência, mas normalmente a salada é só a entrada!

E o lanche?

Mas e o lanche da tarde? Mesmo com essas mudanças, muitas vezes que eu ainda sinto fome de tarde e preciso de um lanchinho. A diferença é que agora ou me guio pela minha fome e não por regras externas de quando e quanto devo comer.

O problema do lanche, muitas vezes, é que as soluções mais convenientes são alimentos ultraprocessados. Muitos deles são vendidos como alternativas saudáveis, como barras de cereais, sucos em caixa, biscoito sem glúten, iogurtes light. A verdade é que comida de verdade e saudável não precisa de frases de marketing ou informações nutricionais. As únicas informações que você precisa para decidir o que comer é a lista de ingredientes. São ingredientes de verdade e que eu conheço? Se não for, eu prefiro não comer. Ingredientes como aromatizantes, corantes, açúcar e farinha refinados, realçadores de sabor e monoglucamato de sódio enganam meu corpo e me fazem comer mais do que eu realmente preciso e quero.

Mas e aí, o que a gente come no lanche? Aqui vão algumas ideias de comida de verdade para levar na bolsa e comer no meio da tarde quando nosso corpo está precisando:

  • Abacate com queijo (se o abacate estiver aberto, pingue algumas gotas de suco de limão para ele não escurecer)
  • Uma lata de atum no azeite
  • Morangos
  • Pêra ou maçã
  • Passas
  • Tâmaras
  • Ovo cozido (veja se você consegue um pouquinho de sal de pimenta daqueles de saquinho para levar junto)
  • Banana amassada com canela e uma colher de chá de óleo de côco
  • Shake verde (leve numa garrafa térmica)
  • Iogurte natural integral (cheque os ingredientes, iogurte de verdade só têm dois: leite integral e fermento lácteo ou culturas vivas)
  • Barrinha de cereal feitas em casa (veja aqui uma receita da Bela Gil)
  • Biscoito feito em casa
  • Uma fatia de Bolo caseiro
  • Castanha de caju, castanha do pará, amêndoas
  • Cenoura ralada com azeite e sal
  • Chocolate amargo (chocolate é comida de verdade sim! Veja se tem pelo menos 70% de cacau e leia os ingredientes)

E você, o que costuma comer à tarde? Escreva nos comentários abaixo!

Comentários

  1. Amanda diz

    Adoro seu blog Gabi! A primeira vez q eu vi eu estava começando uma “dieta” e não fez muito sentido mas hoje em dia eu entendo perfeitamente o que VC disse lá atrás sobre comer de verdade! Muito obrigada por compartilhar!

  2. Olivia diz

    eu como muito cenoura com pasta de grao de bico! quando da tempo feita por mim, se nao agora descobri uma maravilhosa que parece caseira mesmo mas vc acha em otimos supermercados com produtos organicos 🙂

    • Gabi Moore diz

      Amo grão de bico!! Por aqui eu sei que a gente encontra esse tipo de produtos com ingredientes de qualidade, mas no Brasil (pelo menos no Rio) ainda é difícil… Adoraria ver sua receita de pasta de grão de bico caseira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *