Da dieta à comida de verdade

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

Em dezembro de 2013, embarquei com meu marido e minha filha rumo a Paris. Lá encontraríamos com meus pais e minha irmã para passar o Natal. Minha família vinha sonhando e se preparando para essa viagem há muito tempo, era um sonho que estava se tornando realidade!

Mas um probleminha não parava de martelar na minha cabeça — eu estava fazendo Vigilantes do Peso (pela milésima vez) e tinha que decidir se continuava a dieta em Paris, ou se chutava o balde. Se continuasse a dieta, talvez eu perdesse mais um quilinhos, mas me sentiria constantemente limitada e com raiva de não poder comer todas as guloseimas francesas. Isso sem contar que a força de vontade para lutar contra as tentações teria que ser monstruosa! Por outro lado, se resolvesse não fazer dieta é certo que engordaria vários quilos e voltaria para casa me sentindo culpada, inchada e derrotada.

Infelizmente, essa não foi a primeira vez que me deparei com esse dilema. Em todo restaurante, barzinho, festa, jantar, casamento, evento, viagem e até em casa parecia que essas eram minhas únicas opções: fazer dieta ou chutar o balde. Como é possível viver assim? Eu tinha que achar outra solução!

Quando voltei de Paris, me deparei no Facebook com uma coach chamada Deena Barselah. Em seu blog, ela falava sobre comer comida de verdade, aprender a escutar o seu corpo e parar de fazer dieta. As receitas dela incluíam ingredientes como manteiga, leite integral, mel, chocolate, e até banha de porco! Com assim? Sempre achei que só de cheirar manteiga eu já engordaria um kilo e meio!

Manteiga

Manteiga é bom demais! (Foto por superfloss)

As ideias da Deena me intrigaram. E muito. Comecei a pesquisar sobre o assunto, e até fiz um curso de seis semanas com ela. Cancelei minha conta do Vigilantes do Peso e nunca mais fiz dieta para emagrecer.

O resultado? Transformei totalmente minha relação com comida e, de quebra, emagreci! Hoje em dia eu como o que eu quero (desde que seja comida de verdade), e não o que eu “devo” ou “não devo” comer. Isso não significa que eu como chocolate o dia inteiro, mas não porque eu não posso e sim porque eu aprendi a ouvir o meu corpo e percebi que não quero mais me entupir de certas coisas (principalmente doces!). Redescobri o prazer de comer sem culpa. Não me sinto limitada e não preciso ter aquela força de vontade para não comer bolo numa festa. Na verdade, na maioria das vezes eu nem quero comer bolo! Nunca achei que isso fosse possível, mas é. E aqui no Sabores com Saberes vou compartilhar as ideias, informações e receitas deliciosas que me ajudaram nessa transformação.

E você? Qual a sua relação com comida e dieta? Adoraria ouvir sua história e suas experiências nos comentários abaixo.

Comentários

  1. Letícia de Albuquerque diz

    Olá Gabi!! Estou gostando muito de tudo que tenho visto aqui no site! Também o conheci através da postagem da Sophie Deram no facebook.
    Sou nutricionista, me formei há pouco tempo e não consigo crer em certos ‘dogmas’ que nos ensinam na universidade! Não consigo conceber alimentação saudável sem ser prazerosa. Mesmo que minha conduta me faça não estar na moda ou fora do padrão atual, sei que a longo prazo o que tem sido feito não está funcionando. Podemos ser tão felizes e saudáveis por meio da alimentação, pq viver se pressionando tanto?!
    Comecei a atender há pouco tempo e sempre estimulo os meus clientes a cozinharem, a lerem os ingredientes do que compram, terem prazer ao sentar-se a mesa e compartilhar um prato com alguem! Mas sinto que é uma grande dificuldade para muitos pela falta de tempo mesmo, as pessoas saem de casa de manha e só chegam a noite! Você teria dicas de como driblar essa falta de tempo?
    Agradeço por tudo o que tem compartilhado conosco! Estarei atenta às atualizações! Abraço 🙂

    • Gabi Moore diz

      Olá Letícia, bem vinda ao blog! Fico muito feliz que esteja gostando. Sei bem o que é não ter tempo para cozinhar! Eu trabalho o dia todo, tenho uma filha pequena, e às vezes é um desafio conseguir sempre comer refeições feitas em casa. Eu posso escrever um artigo sobre isso, acho que seria útil para as pessoas. Mas por enquanto, tenho duas dicas. A primeira é cozinhar quantidades grandes de alguns pratos no final de semana. Normalmente eu tiro umas 3 horas de um sábado ou domingo a tarde para cozinhar. Faço uma sopa, legumes assados no forno, feijão e arroz, um frango assado, uma carne moída, batatas. A segunda dica é sempre ter ingredientes para salada e shakes em casa. Quando não dá tempo de cozinhar, pego alface, atum, cenoura, pepino, tomate e faço uma salada rapidinho! Para mim, só salada não é suficiente, então gosto de fazer também um shake com iogurte, frutas e castanhas. O que vc acha?

  2. Izabel Carvalho diz

    Oi Gabi amei o seu blog, seus artigos, receitas e afins…cheguei até você porque comprei um programa em que a Nutricionista fala sobre comer alimentos verdadeiros, e por incrível que pareça ela postou em seu face um artigo sobre seu blog…elogiando e lhe dando os parabéns…minha querida nutri neste momento SOPHIE DERAM, estou também lhe parabenizando pelo seu trabalho, um grande beijo e já vou fazer neste domingo este frango delicioso que você recomenda…
    a uma coisa sobre mim…não sou cozinheira, mas a Sophie me incentivou a começar a cozinhar, então o seu frango é um desafio para uma pessoa como eu, que não tem intimidade com a cozinha, panelas, fogão e affe, facas…kkkkkk
    mas acho que pelo meu entusiasmo vou até me sair bem,

    • Gabi Moore diz

      Izabel, eu também sou fã da Sophie e fiquei super feliz que ela tenha gostado do blog! Eu me identifico com seus desafios, só fui aprender a cozinhar mesmo depois de adulta. Lembro que a primeira vez que fui fazer frango eu não tinha idea do que fazer, eu enchi uma panela de água e joguei o frango dentro! Ficou horrível 🙂 Acho que seria legal eu publicar um artigo sobre comida de verdade para iniciantes, com algumas dicas simples de como começar. O que vc acha?

  3. Carolina Padilha diz

    Gabi, parabéns pela iniciativa! Vou falar um pouco de mim… Nos últimos dois anos, engordei 10kg e minhas roupas começaram a não caber mais em mim. Tudo bem que continuo sendo magra, mas existe uma pressão social constante para estar em forma. Então eu comecei a tentar cortar algumas coisas, mas continuei me sentindo mal, flácida e inchada. Fui à uma nutricionista e ela me indicou algumas coisas que posso substituir, mas meu progresso não tem sido dos melhores… Resumindo: emagreci 2kg, mas meu peso flutua semanalmente e eu tomo mil fórmulas de farmácia de manipulação e ainda por cima me sinto constantemente culpada quando não me alimento “bem”.
    Estou ansiosa por suas dicas! Quero parar de ter culpa e me sentir bem comigo mesma.
    Beijos!

    • gabimoore diz

      Oi Carol, obrigada por compartilhar sua experiência! Eu também me sentia constantemente culpada quando não me alimentava “bem”. Quando parei de fazer dieta percebi que todas aquelas comidas que estavam nessa lista não precisam estar. Vou escrever mais sobre isso em breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *