A fome e a saciedade: reaprendendo a confiar no seu corpo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone

fome

São 11 horas da manhã e eu já estou com fome. Normalmente só sinto vontade para almoçar lá pras 12:30 ou 13:00h, mas hoje meu café da manhã foi meio pobrinho por falta de tempo e a fome veio mais rápido.

No meu passado de dietas intermináveis, isso acontecia todos os dias. Como eu restringia calorias e gordura, meu café da manhã nunca era suficiente. Na verdade, nenhuma das minhas refeições eram suficientes! Eu sentia fome às vezes apenas 1 ou 2 horas depois de comer, e então aprendi a ignorar minha fome. A sensação de saciedade depois de comer também foi pro espaço. Quando eu estava seguindo a dieta, comia tão pouco que a saciedade nunca vinha. E quando resolvia chutar o balde, ignorava a saciedade e comia até explodir. E pensar que passei quase 20 anos ignorando a fome e a saciedade. Uma maluquice.

A fome a a saciedade são sinais importantíssimos que o corpo nos dá. Elas são controladas por dois hormônios chamos Grelina e Lepitina, respectivamente. Nossos hormônios são altamente adaptáveis, de forma que se estamos comendo de menos produzimos mais grelina (e portanto sentimos mais fome) e se estamos comendo de mais produzimos mais leptina. O problema é quando resolvemos ignorar esses hormônios. Hoje se sabe que uma das causas da obesidade, por exemplo, é resistência à leptina. Cada vez que ignoramos a sensação de saciedade e continuamos comendo até explodir, nosso corpo produz mais e mais desse hormônio. E nesse processo nos tornamos cada vez mais imune a ele e sequer reconhecemos que nossa barriga está mais que cheia.

Para quebrar esse ciclo vicioso, resolvi parar de seguir recomendações genéricas e aprender a respeitar meus sinais de fome e saciedade. Isso é muito mais difícil do que parece porque somos bombardeados todos os dias por conselhos como: coma de 3 em 3 horas! Sirva-se uma vez e não repita! O jantar deve ser uma refeição leve! Eu segui todas essas recomendações no passado, e hoje sei que elas não funcionam para mim. Eu me sinto melhor comendo a cada 4 ou 5 horas, eu repito sim quando ainda estou com fome, e meu jantar não é nada leve porque hoje eu sei que preciso de bastante carboidrato de noite para dormir bem. Mas para você pode ser completamente diferente!

Estamos tão acostumados a buscar em outros lugares respostas sobre quando e o quanto comer que esquecemos que a resposta nos é dada pelo nosso próprio corpo através das sensações de fome e saciedade. Que horas e com que frequência eu devo comer? Quando você estiver com fome! Quanto eu devo comer? Até se sentir satisfeito! Eu devo comer mais no café, no almoço ou no jantar? Depende da sua fome nessas horas do dia! Parece tão simples, e é simples mesmo. Quanto mais complicamos as respostas a essas perguntas mais desconectados ficamos do nosso corpo.

No início, me deu um medo danado de confiar no meu corpo. Eu achava que se eu não seguisse nenhuma regra eu ia querer comer o dia todo sem parar. Afinal, quando eu fazia dieta era isso que eu queria! Foi incrível para mim descobrir que quando eu dou autonomia e voz para o meu corpo, ele sabe exatamente o quanto e quando comer com responsabilidade e moderação. E que às vezes ele quer sim comer um pedaço enorme de bolo no meio da tarde, e isso é perfeitamente normal!

Bom, agora já são 11:30 e vou almoçar mais cedo hoje porque estou com fome. Bom almoço para você!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *